• Subcribe to Our RSS Feed

Orientação de estudos (2 de 2)

out 23, 2015 by     No Comments    Posted under: destaque, estudo

Orientação de estudos 2

Confira a primeira parte, clique aqui.

Técnica de Estudo

1 – Leitura
É a técnica fundamental do estudo. Envolve o reconhecimento e compreensão das palavras lidas, a compreensão das idéias expressas, as associações significativas e a seleção das associações feitas.
A leitura pode ser utilizada para preencher as horas de lazer.(leitura de entretenimento ou distração), para buscar informações (leitura de cultura geral ou informativa), para estudar (leitura informativa, formativa, de aprendizagem)
Você já deve ter notado que a grande maioria dos trabalhos escolares exige que se faça leituras, resumos, interpretações de textos, etc. É necessário portanto que você seja um “bom leitor”. Como?
Algumas orientações nos são apresentadas por SALOMON, Délcio Vieira, “Como fazer uma monografia, p. 45-8 e por BASTOS, Cleverson e KELLER, Vicente, “Aprendendo a Aprender”:
O bom leitor lê rapidamente e entende bem o que lê. Tem habilidades e hábitos como:

  1. Lê com objetivo determinado – Ex: aprender certo assunto – repassar detalhes – responder questões
  2. Lê unidades de pensamento – Abarca, num relance, o sentido de um grupo de; palavras. Relata rapidamente as idéias encontradas numa frase ou num parágrafo.
  3. Tem vários padrões de velocidade – ajusta a velocidade da leitura com o assunto que lê. Se lê uma novela, é rápido. Se livro cientifico para guardar detalhes – lê mais devagar para entender bem.
  4. Avalia o que lê – Pergunta-se freqüentemente: Que sentido tem isso para mim? Está o autor qualificado para escrever sobre o assunto? Está ele apresentando apenas um ponto de vista do problema? Qual é a idéia principal deste trecho? Quais seus fundamentos?
  5. Possui bom vocabulário – Sabe o que muitas palavras significam. É capaz de perceber o sentido das palavras novas pelo contexto. Sabe usar dicionários e o faz freqüentemente para esclarecer o sentido de certos termos, no momento oportuno.
  6. Tem habilidades para conhecer o valor do livro – Sabe que a primeira coisa que se toma um livro é indagar do que se trata, através do titulo, subtítulos encontrados na página de rosto e não apenas na capa. Em seguida lê os títulos do autor. Edição do livro. Índice. “Orelha do livro”. Prefácio. Bibliografia citada. Só depois é que se vê em condições de decidir pela conveniência ou não da leitura. Sabe selecionar o que lê. Sabe consultar e quando ler.
  7. Sabe quando deve ler um livro até o fim, quando interromper a leitura definitivamente ou periodicamente – Sabe quando e como retomar a leitura, sem perda de tempo e sem perder a continuidade.
  8. Discute freqüentemente o que lê com colegas – Sabe distinguir entre impressões subjetivas e valor objetivo durante as discussões.
  9. Adquire livros com freqüência e cuida de ter sua biblioteca particular – Quando é estudante procura os livros de textos indispensáveis e se esforça em possuir os chamados clássicos e fundamentais. Tem interesse em fazer assinaturas de períodos científicos. Formado, continua alimentando sua biblioteca e restringe a aquisição dos chamados “compêndios”. Tem o hábito de ir direto às fontes; de ir além dos livros de texto.
  10. Lê assuntos vários – Le livros,revistas, jornais. Em áreas diversas: ficção, ciência, história, etc. Habitualmente nas áreas de seu interesse ou especialização.
  11. Lê muito e gosta de ler – Acha que ler traz informações e causa prazer. Lê sempre que pode.
  12. O BOM LEITOR é aquele que não é só bom na hora de leitura. É bom leitor porque desenvolve uma atitude de vida: é constantemente bom leitor. Não só lê, mas sabe ler. Além da eficiência na leitura, um bom aproveitamento nos estudos requer também a aplicação sistemática de outras técnicas que facilitam a compreensão, a aprendizagem.

2 – Sublinhar
É colocar em destaque as idéias principais e palavras – chave de um texto.
Importante:

  • Não sublinhar na primeira leitura;
  • Sublinhar apenas o que é realmente importante: idéias principais, dando destaque às palavras-chave, detalhes importantes, termos técnicos, definições. A idéia principal é a informação mais importante;
  • Destacar passagens importantes ou duvidosas com traço ou interrogação à margem;
  • Não interromper a leitura ao encontrar palavras desconhecidas. Se a leitura não esclarecer o termo em questão, anotar para uma consulta posterior;
  • Reler o texto, verificando se ficou destacada sua estrutura.

3 – Esquematizar (Esquema)
É retratar sinteticamente um assunto Num esquema só deve conter os traços essenciais do texto. Deve possibilitar realizar a ligações entre os elementos e o funcionamento do conjunto, permitindo visualizar o todo porque hierarquiza as idéias e normas fixas para realização de esquemas no entanto, algumas indicações podem auxiliar sua elaboração:

  • No esquema não escrevemos frases, apenas expressões principais, palavras;
  • Esquema é extraído do texto e não imposto ao texto. As palavras ou termos originais, tanto quanto possível devem ser mantidos;
  • Um esquema pode ser feito com a utilização de chaves, gráficos, parênteses, quadro sinótico, desenhos, setas. É muito pessoal.

Num esquema, deverão constar do titulo, tópicos que serão as idéias principais subtópicos, idéias secundárias e, por fim, os detalhes e pormenores. Deverão ser apenas citados no esquema e apresentados na seguinte maneira:

– tópicos: decomponha os subtópicos em algarismos romanos ou letras maiúsculas;

I – A –

II – B – etc

– subtópicos: decomponha cada subtópico, em pormenores e marque com algarismos arábicos ou letras minúsculas;

1 – a –

2 –etc b – etc

– pormenores, detalhes, idéias secundárias: indique, através de hífen, asteriscos, setas, etc.

4 – Resumir (resumo)
É apresentar os fatos principais, as idéias principais de um texto.
O resumo poderá ser feito depois de você ter feito:

– uma 1ª leitura global do texto.
– uma 2ª leitura detendo-se as idéias principais (sublinhar)
– uma 3ª leitura para verificar a relação das idéias entre si;
– um esquema.

Podemos dizer que o resumo é a condenação do texto lido em seus elementos principais. Ele pode nascer do esquema.
O resumo bem elaborado tem as finalidades de dispensar a leitura original.

Importante:
– não resumir antes de fazer a leitura global do texto, o sublinhar e o esquema;
– verificar a relação das idéias entre si.
– nas transcrições literais usar aspas e citar a fonte;

O texto sobre o “bom leitor” poderia ser esquematizado e resumido da seguinte maneira:

Exemplo:
Esquematizando.

 

Bom leitor – hábitos:

– objetivo determinado- unidades de pensamento- vários padrões de velocidade- avalia

– bom vocabulário

– habilidades de conhecer livros

– sabe quando interromper a leitura

– discute o que lê

– forma sua biblioteca particular

– lê vários assuntos

– sabe e gosta de ler

Resumindo:
…..O bom leitor possui e desenvolve hábitos de leitura, lendo com objetivos determinados, buscando unidades de pensamentos para melhor compreensão. Com isto consegue adotar vários padrões de velocidade, conforme a dificuldade do assunto. Costuma avaliar e refletir sobre o assunto lido, discutindo-o com colegas, formando sua própria maneira de pensar e enriquecendo o vocabulário através de consultas ao dicionário, de palavras não entendidas durante a leitura. Ao tomar um livro em suas mãos, folheia-o rapidamente, verificando títulos, subtítulos, notas de rodapé, etc. para um primeiro conhecimento. Normalmente, adota critérios sobre quando interromper a leitura para retomá-la mais tarde com continuidade e sem perda de tempo. Aos poucos, forma sua própria biblioteca, compondo-a com assuntos variados. Em suma, o bom leitor sabe e gosta de ler, fazendo disto uma atitude de vida.

Avaliando seus resultados
Uma das etapas mais importantes no aprendizado é a de avaliar os resultados obtidos nas provas, nos trabalhos, nas chamadas orais, nas médias bimestrais – instrumentos que possibilitam a análise do que você aprendeu num determinado período de aulas.

Quando receber uma prova corrigida, você deve acompanhar a discussão das questões feitas pelo professor. Observe quais você errou e quais você acertou. Procure identificar os erros cometidos e por que você os cometeu (por distração, por interpretação inadequada da questão, por não saber o assunto, etc.), pois ao analisá-los você perceberá algumas falhas na forma de estudar ou de fazer a avaliação. Corrija as questões em seu caderno, pois você evitará que os mesmos erros ocorram novamente. Se errou a maioria das questões, refaça toda a prova; é uma boa maneira de rever os assuntos. Isso lhe permitirá aprimorar seu método de estudo e a resolução das avaliações.

Se as dificuldades persistirem, consulte o professor. Peça a ele que o ajude a encontrar o problema e que o oriente na melhor forma de estudar aquele assunto.

Não se contente em tirar a média mínima de aprovação. Estabeleça para si metas a serem atingidas ao longo dos bimestres de modo a progredir ao longo do ano letivo. Não esqueça: mais do que tirar notas, você está investindo em si mesmo, na sua formação.

Confira a primeira parte, clique aqui.

Por Denise Mineiro
www.facebook.com/denise.mineiro
www.linkedin.com/in/denisemineiro



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Tem algo a dizer? Vá em frente, deixe seu comentário!

XHTML: Você pode utilizar os seguintes códigos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

UA-34327795-1