• Subcribe to Our RSS Feed

Os 7 maiores pecados na educação dos filhos

out 26, 2015 by     No Comments    Posted under: destaque, educação

Todos os pais tentam fazer o melhor pelos seus filhos. Mas, muitas vezes, por excesso de preocupação o cuidados, as boas intenções acabam se tornando alguns maus costumes que podem interferir no futuro das crianças. A revista Ana Maria trouxe na sua última edição uma lista de atitudes que devem ser evitadas na educação dos pequenos.

Os 7 maiores pecados na educação dos filhos

Proteger demais

O hábito: Encher a criança de brinquedos, deixar de punir a desobediência e, quando há conflito com os professores, sempre intervir a favor dele.

A intenção: Impedir que ele sofra com a rejeição ou a frustração de não ter o que quer ou não fazer o que gosta.

O problema: Uma criança que tem tudo o que deseja e nunca é punida pode se tornar um adulto que se considera acima da lei.

A solução: Aprender a dizer “não” com firmeza (e explicar o motivo) sempre que for preciso.

Não se entender com o outro cônjuge

O hábito: Brigar com o marido ou esposa (ou o outro pai, mesmo quando separados) ou falar mal dele na frente do filho e mudar instruções que ele tenha dado.

A intenção: Fazer prevalecerem seus métodos, já que acredita que a outra parte não consiga educar direito.

O problema: Quando ele percebe que os pais não se entendem, fica inseguro. Isso dificulta a tomada de decisões na vida adulta.

A solução: Se você e a outra parte discordarem, cheguem a um acordo ou deixem para brigar quando a criança estiver longe.

Prometer e não cumprir

O hábito: Prometer mundos e fundos caso seu filho passe de ano quando você não tem como cumprir a promessa.

A intenção: Estimulá-lo a fazer algo, acreditando que esquecerá o prêmio depois.

O problema: As crianças não só não esquecem promessas como ainda criam expectativas.

A solução: Só faça promessas que você seja capaz de cumprir, e anote-as para não se esquecer delas mais tarde.

Liberar geral

O hábito: Deixar que o filho pinte e borde dentro (e fora) de casa, sem supervisão.

A intenção: Fazer com que os momentos juntos sejam sempre agradáveis.

O problema: A falta de limites costuma trazer problemas sérios tanto na escola quanto, futuramente, no trabalho.

A solução: Determine um espaço para “fazer bagunça” e deixe claros os limites do que é permitido fazer.

Ser rígida demais

O hábito: Exigir que seu filho seja o melhor em tudo, elogiá-lo pouco e enchê-lo de críticas e de “nãos”.

A intenção: Transformá-lo em um adulto de caráter.

O problema: Ele pode crescer revoltado e agressivo. Além disso, quando tudo é negado, o jovem acaba fazendo coisas às escondidas.

A solução: Determine um espaço para “fazer bagunça” e deixe claros os limites do que é permitido fazer.

Acelerar o aprendizado

O hábito: Querer que a criança seja alfabetizada antes dos seis anos.

A intenção: Adiantar o filho, para que ele seja um vencedor na vida.

O problema: O cérebro tem seu tempo, não adianta forçar. Isso faz o pequeno se sentir “burro” e atrasado, o que baixa sua auto-estima.

A solução: Seu filho entrou no pré-primário adiantado? “Deixe-o repetir”, sugere a psicoterapeuta Teresa Bonumá. Ele não precisa aprender a ler antes.

Obrigar a comer

O hábito: Forçá-lo a ingerir algo que não quer ou fazer chantagem para que coma.

A intenção: Contribuir para que seu filho cresça forte e saudável.

O problema: A criança passa a associar comida a punição, o primeiro passo para ter transtornos alimentares no futuro.

A solução: Identifique o que a criança gosta e seja criativa. Ele só come arroz? Experimente incrementá-lo com legumes. Por exemplo, “tinja-o” com beterraba, e terá o “Arroz da Barbie”, ou com espinafre, e terá o “Arroz do Shrek”. A partir disso, exercite sua criatividade! Há milhares de ingredientes gostosos e saudáveis.

Via Blog da Xalingo



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Tem algo a dizer? Vá em frente, deixe seu comentário!

XHTML: Você pode utilizar os seguintes códigos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

UA-34327795-1